Queepi é prática

Queepi é prática. Muito bem, mas o que queremos dizer com isso?

É uma longa história e vamos começar pelo começo. Nossos antepassados já sabiam disso. As antigas Corporações de Ofício da Idade Média treinavam longamente os aprendizes, repetindo interminavelmente as mesmas tarefas até que atingissem o domínio da arte e se tornassem, eles próprios, mestres também. E eles nos legaram obras de arte incomparáveis.
Mais recentemente, nossos avós e bisavós sofreram decorando, até a exaustão: tabuada, gramática, latim, fatos históricos e nomes de lugares. E, muitos, mesmo com idade avançada, ainda são capazes de lembrar daquilo que estudaram.

Agora, o mundo mudou e espera-se que o estudante redescubra o mundo e construa seu próprio conhecimento. Não é tão fácil, como os resultados de todos os testes de desempenho escolar têm mostrado.

E então, existe alguma forma de conciliarmos esses métodos? O que havia de bom nas antigas metodologias? Como funcionavam? Por que as novas ideias não fazem os alunos felizes na escola e não propiciam um aprendizado brilhante?

Acreditamos que a razão é o que podemos chamar de PRÁTICA. Para nós, é o que liga esses dois mundos e permite um aprendizado individualizado no qual o estudante constrói, de fato, o seu conhecimento, no seu ritmo, detalhada e intuitivamente.

Nos próximos textos falaremos mais a respeito das ideias e dos métodos que adotamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *